Visitantes

domingo, 20 de março de 2016

Os 12 vulcões mais perigosos do mundo - PPT - Super


Os 12 países menos populoso do mundo - PPT - Super


Os 10 maiores lagos do mundo - PPT - Super


Imagens da terra pela Estação Espacial Europeia - PPT - Super




Caça-palavras Segunda Guerra Mundial

Caça-palavras: Cana-de-açúcar no Brasil

quarta-feira, 16 de março de 2016

Vai ser difícil limpar o Brasil...

Quando você tem oportunidade de roubar R$ 0,50 (cinquenta centavos) tirando fotocópia pessoal na máquina Xerox do trabalho, você não perde a oportunidade.
Quando você tem oportunidade de roubar R$ 5,00 (cinco reais) levando para casa a caneta da empresa, você não perde a oportunidade.
Quando você tem a oportunidade de roubar R$ 25,00 (vinte e cinco reais) pegando uma nota mais alta na hora do almoço para a empresa reembolsar, você não perde a oportunidade.
Quando você tem a oportunidade de roubar R$ 50,00 (cinquenta reais) de um artista comprando um DVD pirata, você não perde a oportunidade.
Quando você tem a oportunidade de roubar R$ 250,00 (duzentos e cinquenta) comprando uma antena desbloqueada que pega o sinal de satélite de todas as TV’s a cabo, você não perde a oportunidade.
Quando você tem a oportunidade de roubar R$ 469,99 da Microsoft baixando um Windows crackeado num site ilegal, você não perde a oportunidade.
Quando você tem a oportunidade de roubar R$ 2.000,00 (dois mil) escondendo um defeito do seu carro na hora de vende-lo enganando o comprador, você não perde a oportunidade.
E você não perde nenhuma oportunidade, devolve a carteira mas rouba o dinheiro, sonega imposto de renda, dá endereço falso para adquirir benefícios que não tem direito, etc, etc. etc...
Bom, se você trabalhasse no Governo, e caísse no seu colo a oportunidade de roubar R$ 1.000.000,00 (um milhão) com certeza, como você não perde uma oportunidade, iria aproveitar mais esta oportunidade. Tudo é uma questão de acesso e oportunidade.
O povo brasileiro precisa entender que o problema do Brasil não são só a meia dúzia de políticos no poder lá em cima, pois eles, são apenas o reflexo dos quase 200 milhões de oportunistas aqui embaixo. Os políticos de hoje, foram os oportunistas de ontem.
Vai ser difícil limpar o Brasil...
(Autor desconhecido)

domingo, 13 de março de 2016

Terremoto no Nepal - PPT - DW


China na África maldição ou benção? - PPT - DW


Baohan: A rua mais africana da China - PPT - DW


A arte e os horrores de Auschwitz - PPT - DW


25 anos do massacre da Praça Celestial - PPT - DW


Desastres naturais vistos do espaço - PPT - DW


As 10 cidades mais caras - PPT - DW


Alarmante morte em massa de animais - PPT - DW


Onde os alemães passam as férias - PPT - DW


sábado, 12 de março de 2016

Os encantos secretos da Coreia do Norte - PPT - DW


Seca na África - PPT - DW


A miséria dos refugiados no norte da França - PPT - DW


10 razões para visitar a Floresta Negra (Alemanha) - PPT - DW


Cuba: o clã dos Castros - PPT - DW


A dor dos Talibés - PPT - DW


Vikings: entre o mito e a realidade - PPT - DW





quinta-feira, 10 de março de 2016

Caça-palavras: África

África
 Continente que abriga as mais antigas evidências da presença do homem moderno no planeta, a África é seguidamente pilhada, dividida e ocupada pelas potências da Europa a partir do século XV. Milhões de africanos são escravizados por essas potências, que mantêm a exploração dos recursos naturais da região, mesmo após o fim da escravidão. As lutas anticoloniais se desenvolvem na segunda metade do século XX e se misturam aos conflitos da Guerra Fria. Persistem rivalidades étnicas entre populações de países cujas fronteiras foram criadas artificialmente pelas nações européias no século XIX.
Esse legado histórico explica por que a África responde por menos de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, tem quase metade da população vivendo abaixo da linha de pobreza (com renda inferior a 1 dólar por dia) e está sendo devastada por uma epidemia de aids. A despeito do fim de algumas guerras civis sangrentas (como em Moçambique e Angola), disputas por recursos minerais e rivalidades étnicas, regionais e religiosas continuam a fomentar conflitos armados, que matam milhões de pessoas e causam migrações maciças.
Inspirados na União Europeia (UE), os países do continente criam, em 2002, a União Africana, prevendo a implementação de programas de desenvolvimento e uma possível eliminação das fronteiras. Nos últimos anos, a África tem atraído cada vez mais o interesse dos Estados Unidos (EUA), que aumentam sua presença militar no continente e procuram garantir acesso aos recursos naturais, principalmente petróleo. Além disso, os EUA buscam aliados para reforçar suas posições nos organismos multilaterais, como o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial do Comércio (OMC).
 Geografia física – O relevo africano caracteriza-se pelo predomínio de imensos tabuleiros (planaltos pouco elevados). No sudeste tornam-se mais altos, formando grandes picos, como o monte Kilimanjaro (5.895 metros), na Tanzânia. O deserto do Saara ocupa um terço do território africano. Ali são registradas temperaturas superiores a 40 ºC. Curiosamente, uma das faixas de terra mais férteis do globo fica nessa área, ao longo das margens do rio Nilo. A África tem quatro quintos do território entre o trópico de Câncer e o de Capricórnio, o que faz com que o clima seja predominantemente equatorial ou tropical, exceto nas extremidades norte e sul, onde é temperado. A vegetação obedece aos fatores climáticos: na porção equatorial úmida, há florestas tropicais, que vão perdendo densidade e se transformando em savanas à medida que avançam para as regiões mais secas, ao norte e ao sul. Segundo o World Resources Institute, cerca de dois terços das florestas originais do continente foram desmatados.
 População – Enquanto os desertos são praticamente despovoados, o vale do rio Nilo, por exemplo, apresenta densidade média superior a 800 habitantes por quilômetro quadrado. Há centros urbanos intensamente povoados, como Cairo, Argel e Cidade do Cabo. Verifica-se o predomínio das religiões nativas (aparentadas com o candomblé do Brasil) nos países ao sul do Saara e do islamismo nas nações do norte. Existem também importantes centros cristãos, como a Etiópia (uma das nações de cristianização mais antiga no mundo) e outros decorrentes da colonização europeia. Há enorme diversidade lingüística: as línguas e os dialetos locais, do tronco africano, convivem com os idiomas introduzidos pelos europeus, em especial o inglês, o francês e o africâner, derivado do holandês falado no século XVII.

Economia – A África é o continente menos desenvolvido do mundo. Os poucos pólos de desenvolvimento se devem à exploração mineral (África do Sul, Líbia, Nigéria e Argélia) e, em menor escala, à industrialização (África do Sul). A mineração responde por 90% da receita total de exportação. Nessa atividade, destaca-se a África do Sul, país que detém, sozinho, mais de um quinto do PIB africano.
O continente continua a ser essencialmente agrícola. Monoculturas de exportação (café, cacau, algodão, amendoim etc.) alternam-se com lavouras de subsistência. Na extração de petróleo e gás natural, os principais produtores são a Líbia, a Nigéria e a Argélia. É o único continente onde diminuiu a renda per capita (de -0,8% a -1,2%) entre 1970 e 1995, de acordo com dados do Banco Mundial.

África
 Continente que abriga as mais antigas evidências da presença do _________________ moderno no planeta, a África é seguidamente pilhada, dividida e ocupada pelas potências da _________________ a partir do século XV. Milhões de africanos são _________________ por essas potências, que mantêm a exploração dos recursos naturais da região, mesmo após o fim da escravidão. As lutas anticoloniais se desenvolvem na segunda metade do século XX e se misturam aos conflitos da _________________ Fria. Persistem rivalidades étnicas entre populações de países cujas fronteiras foram criadas artificialmente pelas nações européias no século XIX.
Esse legado histórico explica por que a África responde por menos de 2% do Produto Interno Bruto (_________________) mundial, tem quase metade da população vivendo abaixo da linha de _________________ (com renda inferior a 1 _________________ por dia) e está sendo devastada por uma epidemia de _________________. A despeito do fim de algumas guerras civis sangrentas (como em Moçambique e Angola), disputas por recursos _________________ e rivalidades étnicas, regionais e religiosas continuam a fomentar conflitos armados, que matam milhões de pessoas e causam _________________ maciças.
Inspirados na União _________________ (UE), os países do continente criam, em 2002, a União Africana, prevendo a implementação de programas de desenvolvimento e uma possível eliminação das fronteiras. Nos últimos anos, a África tem atraído cada vez mais o interesse dos Estados Unidos (_________________), que aumentam sua presença _________________ no continente e procuram garantir acesso aos recursos _________________, principalmente petróleo. Além disso, os EUA buscam aliados para reforçar suas posições nos organismos multilaterais, como o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (_________________) e a Organização Mundial do Comércio (OMC).
 Geografia física – O relevo africano caracteriza-se pelo predomínio de imensos tabuleiros (_________________ pouco elevados). No sudeste tornam-se mais altos, formando grandes picos, como o monte _________________ (5.895 metros), na Tanzânia. O deserto do _________________ ocupa um terço do território africano. Ali são registradas temperaturas superiores a 40 ºC. Curiosamente, uma das faixas de terra mais férteis do globo fica nessa área, ao longo das margens do rio ______________________.. A África tem quatro quintos do território entre o trópico de Câncer e o de ______________________., o que faz com que o clima seja predominantemente equatorial ou ______________________., exceto nas extremidades norte e sul, onde é temperado. A vegetação obedece aos fatores climáticos: na porção equatorial úmida, há ______________________.tropicais, que vão perdendo densidade e se transformando em savanas à medida que avançam para as regiões mais secas, ao norte e ao sul. Segundo o World Resources Institute, cerca de dois terços das florestas originais do continente foram ______________________.
 População – Enquanto os desertos são praticamente despovoados, o vale do rio Nilo, por exemplo, apresenta densidade média superior a 800 habitantes por quilômetro quadrado. Há centros urbanos intensamente povoados, como ______________________., Argel e Cidade do Cabo. Verifica-se o predomínio das religiões nativas (aparentadas com o ______________________.do Brasil) nos países ao sul do Saara e do islamismo nas nações do norte. Existem também importantes centros cristãos, como a Etiópia (uma das nações de cristianização mais antiga no mundo) e outros decorrentes da colonização europeia. Há enorme diversidade linguística: as línguas e os dialetos locais, do tronco africano, convivem com os idiomas introduzidos pelos europeus, em especial o inglês, o ______________________.e o africâner, derivado do holandês falado no século XVII.

Economia – A África é o continente menos ______________________.do mundo. Os poucos pólos de desenvolvimento se devem à exploração mineral (África do Sul, Líbia, Nigéria e Argélia) e, em menor escala, à industrialização (África do Sul). A ______________________.responde por 90% da receita total de exportação. Nessa atividade, destaca-se a África do Sul, país que detém, sozinho, mais de um quinto do PIB africano.
O continente continua a ser essencialmente ______________________.. Monoculturas de exportação (______________________., cacau, algodão, amendoim etc.) alternam-se com lavouras de subsistência. Na extração de ______________________.e gás natural, os principais produtores são a Líbia, a Nigéria e a Argélia. É o único continente onde diminuiu a renda per capita (de -0,8% a -1,2%) entre 1970 e 1995, de acordo com dados do ______________________.Mundial.



terça-feira, 8 de março de 2016

As crianças esquecidas de Benin - NG - PPT


Caça-palavras: Antártica


Antártica
A Antártica é coberta por uma enorme camada de gelo, com espessura média de 2 quilômetros e volume de 30 milhões de quilômetros cúbicos. No inverno, em virtude do congelamento dos oceanos, a superfície do continente, de 14.108.000 quilômetros quadrados, dobra de tamanho. A única exceção nesse cenário glacial é a península Antártica, que não permanece gelada o ano inteiro. Essa massa de gelo é de extrema importância para o equilíbrio ambiental do planeta, pois, além de concentrar cerca de 70% das reservas de água doce da Terra, interfere no nível dos oceanos, por causa das variações em sua extensão e espessura. O fato de a Antártica não ser habitada (exceto pelos pesquisadores que ocupam temporariamente as bases científicas mantidas por 27 países) não a protege das agressões ambientais. O buraco na camada de ozônio, causado pela presença de clorofluorcarbonetos (CFCs) e de outros poluentes na atmosfera, localiza-se em cima do continente e ameaça a sobrevivência de suas geleiras (90% das existentes no planeta), em virtude da maior exposição à radiação solar.
Geografia física – A Antártica é cercada pelas águas confluentes dos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico. Possui várias ilhas adjacentes e abriga o Pólo Geográfico Sul, a 90º de latitude Sul, além do Pólo Magnético Sul, cuja localização não é fixa. O continente antártico é o lugar mais frio do globo, com temperaturas inferiores a 0 °C no verão e podendo alcançar 80 °C negativos no inverno. Sob a grossa camada de gelo, estende-se o lago Vostok, um dos maiores do mundo, com 10 mil quilômetros quadrados de extensão e enorme volume de água doce.
 Economia – As atividades humanas no continente restringem-se à pesca, regulamentada desde 1982, e à investigação científica . Em 1961 entrou em vigor o Tratado da Antártica, que internacionalizou a região e regulamentou seu uso exclusivamente para pesquisas com fins pacíficos. Não são permitidos exercícios militares, testes nucleares nem depósitos de lixo radioativo. O tratado foi ratificado por 45 países signatários, entre os quais o Brasil. Ainda que esse documento tenha suspendido as disputas pela posse de terras no continente, sete nações continuam reivindicando áreas: Argentina, Austrália, Chile, França, Noruega, Nova Zelândia e Reino Unido.

Antártica
A Antártica é coberta por uma enorme camada de _____________, com espessura média de 2 quilômetros e volume de 30 milhões de quilômetros cúbicos. No _____________, em virtude do congelamento dos oceanos, a superfície do continente, de 14.108.000 quilômetros quadrados, dobra de _____________. A única exceção nesse cenário glacial é a península Antártica, que não permanece gelada o ano inteiro. Essa massa de gelo é de extrema importância para o equilíbrio _____________do planeta, pois, além de concentrar cerca de 70% das reservas de água _____________da Terra, interfere no nível dos _____________, por causa das variações em sua extensão e espessura. O fato de a Antártica não ser _____________ (exceto pelos pesquisadores que ocupam temporariamente as bases _____________mantidas por 27 países) não a protege das agressões ambientais. O buraco na camada de _____________, causado pela presença de clorofluorcarbonetos (CFCs) e de outros poluentes na atmosfera, localiza-se em cima do continente e ameaça a sobrevivência de suas geleiras (90% das existentes no planeta), em virtude da maior exposição à radiação solar.
Geografia física – A Antártica é cercada pelas águas confluentes dos oceanos _____________, Pacífico e Índico. Possui várias ilhas adjacentes e abriga o Pólo _____________Sul, a 90º de latitude Sul, além do Pólo Magnético Sul, cuja localização não é fixa. O continente antártico é o lugar mais _____________do globo, com temperaturas inferiores a 0 °C no verão e podendo alcançar 80 °C negativos no inverno. Sob a grossa camada de gelo, estende-se o lago Vostok, um dos maiores do mundo, com 10 mil quilômetros quadrados de extensão e enorme volume de água doce.
 Economia – As atividades humanas no continente restringem-se à pesca, regulamentada desde 1982, e à _____________científica . Em 1961 entrou em vigor o Tratado da Antártica, que internacionalizou a região e regulamentou seu uso exclusivamente para pesquisas com fins pacíficos. Não são permitidos exercícios _____________, testes nucleares nem depósitos de lixo radioativo. O tratado foi ratificado por 45 países signatários, entre os quais o _____________. Ainda que esse documento tenha suspendido as disputas pela posse de terras no continente, sete nações continuam reivindicando áreas: _____________, _____________, Chile, França, Noruega, Nova Zelândia e Reino Unido.




Caça-palavras América Central


América Central
A região, que responde por 1% do Produto Interno Bruto (PIB) da América, sobrevive basicamente da agricultura e do turismo. Abriga também paraísos fiscais – países ou territórios que não cobram impostos e garantem anonimato aos investidores, como forma de atrair capitais. Pelo Canal do Panamá, a principal passagem entre o oceano Atlântico e o Pacífico, circulam 5% de todo o comércio marítimo mundial. A única nação comunista do continente – Cuba – fica na região, assim como vários territórios (Estados não independentes), como Aruba (pertencente à Holanda), Porto Rico (EUA) e Montserrat (Reino Unido).

Geografia física – A América Central é formada pelo istmo que une a América do Norte à América do Sul e pelas ilhas do mar do Caribe. A porção insular é composta de quatro ilhas maiores, Grandes Antilhas – Cuba, Porto Rico, Jamaica e Hispaniola (que abriga Haiti e República Dominicana) –, além de incontáveis ilhotas. O território centro-americano possui relevo montanhoso, com vários vulcões ativos. No verão, o Caribe é assolado por furacões, com ventos de até 300 quilômetros por hora. Quase metade das florestas tropicais da região já foram derrubadas, segundo o World Resources Institute.

População – A densidade demográfica apresenta-se alta nas ilhas do Caribe e, no continente, ao longo da costa do Pacífico, nos planaltos de clima temperado e em núcleos urbanos, como Manágua, Guatemala e Cidade do Panamá. A região é povoada em grande parte por mestiços, descendentes de índios, africanos e colonizadores europeus.

Economia – A agricultura emprega a maioria da população. Alguns produtos, como banana, cana-de-açúcar, algodão e tabaco, são cultivados de forma intensiva e destinados à exportação. A industrialização é incipiente e limita-se ao processamento de produtos agrícolas. Nos últimos anos, ocorreu uma expansão do turismo na região do Caribe.

PAÍSES– Total: 20. Antígua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Belize, Costa Rica, Cuba, Dominica, El Salvador, Granada, Guatemala, Haiti, Honduras, Jamaica, Nicarágua, Panamá, República Dominicana, Santa Lúcia, São Cristóvão e Névis, São Vicente e Granadinas e Trinidad e Tobago.

América Central
A região, que responde por 1% do Produto Interno Bruto (PIB) da América, sobrevive basicamente da ______________ e do ______________. Abriga também paraísos ______________ – países ou territórios que não cobram impostos e garantem anonimato aos investidores, como forma de atrair capitais. Pelo Canal do ______________, a principal passagem entre o oceano Atlântico e o ______________, circulam 5% de todo o comércio marítimo ______________. A única nação comunista do continente – ______________ – fica na região, assim como vários territórios (Estados não independentes), como ______________ (pertencente à Holanda), ______________ (EUA) e Montserrat (Reino Unido).

Geografia física – A América Central é formada pelo ______________ que une a América do Norte à América do ______________ e pelas ilhas do mar do Caribe. A porção insular é composta de quatro ilhas maiores, Grandes ______________ – Cuba, Porto Rico, Jamaica e ______________ (que abriga Haiti e República Dominicana) –, além de incontáveis ilhotas. O território centro-americano possui relevo montanhoso, com vários ______________ ativos. No verão, o Caribe é assolado por ______________, com ventos de até 300 quilômetros por hora. Quase metade das florestas tropicais da região já foram ______________, segundo o World Resources Institute.

População – A densidade ______________ apresenta-se alta nas ilhas do Caribe e, no continente, ao longo da costa do Pacífico, nos planaltos de clima temperado e em núcleos urbanos, como Manágua, Guatemala e Cidade do Panamá. A região é povoada em grande parte por mestiços, descendentes de índios, africanos e colonizadores europeus.

Economia – A agricultura emprega a maioria da população. Alguns produtos, como ______________, cana-de-açúcar, algodão e tabaco, são cultivados de forma intensiva e destinados à ______________. A industrialização é incipiente e limita-se ao processamento de produtos agrícolas. Nos últimos anos, ocorreu uma expansão do turismo na região do Caribe.

PAÍSES– Total: 20. Antígua e Barbuda, ______________, Barbados, Belize, Costa Rica, Cuba, Dominica, El Salvador, Granada, Guatemala, Haiti, Honduras, Jamaica, Nicarágua, Panamá, República Dominicana, Santa Lúcia, São Cristóvão e Névis, São Vicente e Granadinas e Trinidad e Tobago.

Caça-palavras: AIDS


Aids  
A aids é a quarta principal causa de morte por doença do planeta, atrás de ataque cardíaco, derrame e pneumonia. Se a África continua sendo o continente mais afetado, o Leste Europeu e a Ásia Central são as regiões que têm registrado o maior crescimento.
O Programa das Nações Unidas de Combate à Aids (Unaids) estima que em 2004 cerca de 39,4 milhões de pessoas eram portadoras do HIV. Entre eles, 47% são mulheres. Na África subsaariana elas já são 57% dos infectados.
O "coquetel de drogas" (combinação de três medicamentos que inibe a reprodução do vírus dentro do organismo) demonstrou que a doença pode ser controlada, embora não possa ser curada.
Ele aumenta a sobrevida do paciente e reduz a incidência de outras enfermidades. No entanto, devido a seu alto custo, apenas 7% das pessoas que necessitam do tratamento conseguem comprá-lo.
 Aids na África – A aids é o principal fator de mortalidade na África. A dimensão da epidemia é tão grande que interfere nas tendências demográficas. Nos 38 países mais afetados, a população em 2015 será 10% menor do que seria na ausência da enfermidade. O principal obstáculo à diminuição de casos é a pobreza. O alto custo dos medicamentos, serviços públicos de baixa qualidade e falta de orientação, continuam fazendo dos africanos o povo mais suscetível à aids.

Aids  
A _____________ é a quarta principal causa de _____________ por doença do planeta, atrás de ataque _____________, derrame e pneumonia. Se a _____________ continua sendo o continente mais afetado, o Leste Europeu e a Ásia Central são as regiões que têm registrado o maior crescimento.
O Programa das Nações __________ de Combate à Aids (Unaids) estima que em 2004 cerca de 39,4 milhões de pessoas eram portadoras do _____________. Entre eles, 47% são mulheres. Na África _____________ elas já são 57% dos infectados.
O "coquetel de drogas" (combinação de três _____________ que inibe a reprodução do vírus dentro do organismo) demonstrou que a doença pode ser controlada, embora não possa ser _____________.
Ele aumenta a sobrevida do paciente e reduz a incidência de outras enfermidades. No entanto, devido a seu alto custo, apenas 7% das pessoas que necessitam do tratamento conseguem comprá-lo.
 Aids na África – A aids é o principal fator de _____________ na África. A dimensão da epidemia é tão grande que interfere nas tendências _____________. Nos 38 países mais afetados, a população em 2015 será 10% menor do que seria na ausência da enfermidade. O principal obstáculo à diminuição de casos é a _________. O _________custo dos medicamentos, serviços públicos de baixa _________e falta de orientação, continuam fazendo dos africanos o povo mais suscetível à aids.



domingo, 6 de março de 2016

Caça-palavras: Protocolo de Kyoto

Protocolo de Kyoto
Em 1997, os líderes de 84 nações assinam o Protocolo de Kyoto. Pelo documento, os países desenvolvidos se comprometem a reduzir sua emissão de gases do efeito estufa (em particular, o dióxido de carbono ) em pelo menos 5% em relação aos níveis de 1990. Essa meta, que deve ser cumprida entre 2008 e 2012, não é a mesma para todas as nações: 8% para a União Europeia (UE), 7% para os Estados Unidos (EUA) e 6% para o Japão. Países em desenvolvimento não têm meta. Ao aderir e ratificar o protocolo, cada país é obrigado a adotar políticas públicas e leis para cumprir sua cota da redução.
Para entrar em vigor, o acordo precisava ser ratificado (aprovado como lei) por pelo menos 55 países que representem pelo menos 55% das emissões do mundo desenvolvido. O acordo não foi assinado pelos EUA. O presidente norte-americano George W. Bush argumenta que o protocolo é prejudicial à economia de seu país. Por isso, a adesão da Federação Russa, um dos maiores emissores de poluentes, passou a ser fundamental para que o acordo entrasse oficialmente em vigor. Após anos de controvérsias, a ratificação russa é confirmada pelo Parlamento daquele país em novembro de 2004. Até dezembro, 129 países confirmaram a adesão, no total de 61,6% das emissões. Dessa maneira, o Protocolo de Kyoto passou a vigorar em 16 de fevereiro de 2005.

Protocolo de Kyoto
Em 1997, os líderes de 84 ______________ assinam o Protocolo de ______________. Pelo documento, os países ______________ se comprometem a reduzir sua emissão de gases do efeito ______________ (em particular, o dióxido de ______________) em pelo menos 5% em relação aos níveis de 1990. Essa meta, que deve ser cumprida entre 2008 e 2012, não é a mesma para todas as nações: 8% para a União ______________ (UE), 7% para ______________ (EUA) e 6% para o ______________. Países em ______________ não têm meta. Ao aderir e ratificar o protocolo, cada país é obrigado a adotar políticas públicas e ______________ para cumprir sua cota da redução.
Para entrar em vigor, o acordo precisava ser ratificado (aprovado como lei) por pelo menos 55 países que representem pelo menos 55% das emissões do mundo desenvolvido. O acordo não foi assinado pelos ______________. O presidente norte-______________ George W. Bush argumenta que o protocolo é prejudicial à ______________ de seu país. Por isso, a adesão da Federação Russa, um dos maiores emissores de poluentes, passou a ser fundamental para que o acordo entrasse oficialmente em vigor. Após anos de controvérsias, a ratificação russa é confirmada pelo Parlamento daquele país em novembro de 2004. Até dezembro, 129 países confirmaram a ______________, no total de 61,6% das emissões. Dessa maneira, o Protocolo de Kyoto passou a vigorar em 16 de fevereiro de 2005.




Caça-palavras:chuva ácida

Chuva ácida
Um dos grandes problemas ambientais do mundo contemporâneo é a chuva, neve ou neblina com alta concentração de ácidos em sua composição. Com denominação genérica de chuva ácida, sua origem são os óxidos de nitrogênio (NOx) e o dióxido de enxofre (SO2), liberados na atmosfera durante a queima de combustíveis fósseis (principalmente o carvão mineral). Esses compostos reagem com o vapor de água presente na atmosfera, formando o ácido nítrico (HNO3) e o ácido sulfúrico (H2SO4), que depois se precipitam e alteram as características do solo e da água, o que compromete lavouras, florestas e a vida aquática. Também danificam edifícios e monumentos históricos.
Até os anos 1990, os EUA eram os principais responsáveis pelo fenômeno, quando são superados pelos países da Ásia. Altamente dependentes de carvão, essas nações lançam na atmosfera cerca de 34 milhões de toneladas de SO2 ao ano. E os números devem triplicar até 2010, especialmente por causa da acelerada industrialização da China, da Índia, da Coréia do Sul e da Tailândia.

Chuva ácida
Um dos grandes problemas ________________ do mundo contemporâneo é a ________________, neve ou neblina com alta concentração de ________________ em sua composição. Com denominação genérica de chuva ácida, sua origem são os óxidos de nitrogênio (NOx) e o dióxido de ________________ (SO2), liberados na atmosfera durante a queima de combustíveis ________________ (principalmente o carvão ________________). Esses compostos reagem com o vapor de água presente na ________________, formando o ácido nítrico (HNO3) e o ácido sulfúrico (H2SO4), que depois se precipitam e alteram as características do ________________ e da água, o que compromete lavouras, ________________ e a vida aquática. Também danificam edifícios e monumentos ________________.
Até os anos 1990, os ________________ eram os principais responsáveis pelo fenômeno, quando são superados pelos países da ________________. Altamente dependentes de carvão, essas nações lançam na atmosfera cerca de 34 milhões de ________________ de SO2 ao ano. E os números devem triplicar até 2010, especialmente por causa da acelerada industrialização da ________________, da Índia, da Coréia do Sul e da Tailândia.



Caça-palavras Poluição das águas

Poluição das Águas
 A poluição das águas é causada pelo lançamento de efluentes industriais e agrícolas e esgotos domésticos, além de resíduos sólidos diversos. Isso compromete a qualidade das águas superficiais e subterrâneas em vários pontos do planeta. Um dos casos mais graves ocorre no norte do golfo do México, na costa dos EUA, onde a poluição carregada pelo rio Mississipi eliminou o oxigênio das águas e a possibilidade de vida marinha, criando uma "zona morta" com área equivalente a aproximadamente o dobro da do território do Líbano. Segundo a Organização das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unep, sigla em inglês), já existem nos oceanos 150 "zonas mortas", áreas poluídas onde os organismos vivos praticamente não se reproduzem.
 Eutrofização – Os esgotos domésticos são ricos em matéria orgânica, que sofre a ação de microrganismos, principalmente bactérias, resultando na produção de nutrientes. Quando o esgoto é lançado nos meios aquosos, o excesso de nutrientes pode provocar o crescimento extraordinário de algas. É o fenômeno conhecido como eutrofização. Mais nutrientes provêm de fertilizantes utilizados na agricultura, que chegam aos rios, lagoas, lagos, mares e oceanos arrastados pelo escoamento superficial das águas das chuvas.
Com tal proliferação, forma-se uma camada de algas na superfície da água que impede a passagem da luz e a transferência do oxigênio atmosférico para o meio aquático. Além disso, algumas espécies de algas liberam substâncias tóxicas, prejudiciais aos seres aquáticos e ao homem.
 Rios, lagos e mares – Os rios e os lagos são considerados os ambientes mais ameaçados do planeta em consequência do lançamento de dejetos domésticos, industriais, agrícolas e resíduos sólidos. Conforme o World Resources Institute (WRI), a construção de represas e a canalização também ameaçam a manutenção da vida nesses locais.  
Águas subterrâneas – Os nitratos presentes nos fertilizantes e os dejetos humanos e animais também contaminam as águas subterrâneas, que abastecem diversas populações. Isso ocorre principalmente nas áreas de intensa atividade agrícola e nas que não possuem saneamento básico. A perfuração sem controle de poços artesianos em regiões desprovidas de mananciais pode acelerar a contaminação, inclusive por pesticidas.

Poluição das Águas
 A poluição das _______________ é causada pelo lançamento de efluentes industriais e agrícolas e esgotos _______________, além de resíduos sólidos diversos. Isso compromete a qualidade das águas superficiais e subterrâneas em vários pontos do _______________. Um dos casos mais graves ocorre no norte do golfo do México, na costa dos _______________, onde a poluição carregada pelo rio _______________ eliminou o oxigênio das águas e a possibilidade de vida marinha, criando uma "zona _______________ " com área equivalente a aproximadamente o dobro da do território do Líbano. Segundo a Organização das Nações _______________ para o Meio Ambiente (Unep, sigla em inglês), já existem nos oceanos 150 "zonas mortas", áreas _______________ onde os organismos vivos praticamente não se reproduzem.
 Eutrofização – Os esgotos domésticos são ricos em matéria orgânica, que sofre a ação de microrganismos, principalmente _______________, resultando na produção de nutrientes. Quando o esgoto é lançado nos meios aquosos, o excesso de nutrientes pode provocar o crescimento extraordinário de _______________. É o fenômeno conhecido como _______________. Mais nutrientes provêm de _______________ utilizados na agricultura, que chegam aos _______________, lagoas, lagos, mares e oceanos arrastados pelo escoamento superficial das águas das chuvas.
Com tal proliferação, forma-se uma camada de algas na superfície da água que impede a passagem da luz e a transferência do oxigênio atmosférico para o meio aquático. Além disso, algumas espécies de algas liberam substâncias _______________, prejudiciais aos seres aquáticos e ao _______________.
 Rios, lagos e mares – Os rios e os _______________ são considerados os ambientes mais ameaçados do planeta em conseqüência do lançamento de dejetos domésticos, industriais, agrícolas e resíduos sólidos. Conforme o World Resources Institute (WRI), a construção de represas e a canalização também ameaçam a manutenção da vida nesses locais.  
Águas subterrâneas – Os nitratos presentes nos fertilizantes e os dejetos humanos e animais também contaminam as águas _______________, que abastecem diversas populações. Isso ocorre principalmente nas áreas de intensa atividade agrícola e nas que não possuem saneamento _______________. A perfuração sem controle de poços artesianos em regiões desprovidas de mananciais pode acelerar a contaminação, inclusive por pesticidas.




Caça-palavras: Lixo no Brasil


O lixo no Brasil

No total, são produzidas cerca 228 mil toneladas de lixo por dia no Brasil. De acordo com a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB), de 2000, realizada pelo IBGE, 73% do lixo tem como destino final aterros sanitários (técnica de deposição do lixo que garante maior controle da poluição ambiental) ou aterros controlados (quando o lixo é coberto com uma camada de terra). O restante é jogado em lixões, na beira de rios ou não se conhece o destino. Essa realidade, no entanto, pode ser muito pior. Segundo estudo do Ministério das Cidades, em 2002 apenas 18% dos municípios pesquisados possuem aterros sanitários adequados.
Quando não é tratado, o lixo expõe as pessoas a várias doenças (diarréia, amebíase, parasitose, entre outras) e contamina o ar, o solo, as águas e os lençóis freáticos. Ele pode também provocar enchentes, por causa da obstrução de rios e córregos pelo material jogado em locais inadequados. De acordo com o IBGE, as 13 maiores cidades do país são responsáveis por quase 32% de todo o lixo urbano, e cada brasileiro, nas cidades com mais de 200 mil habitantes, produz de 800 gramas a 1,2 quilo de lixo diariamente. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, o serviço de coleta de lixo municipal atinge 85,6% das residências do país, em 2003.

Classificação – O lixo pode ser classificado de acordo com sua natureza física, composição química, origem e riscos potenciais ao meio ambiente, entre outros fatores. A maior parte do lixo domiciliar no Brasil é composta de matéria orgânica. O lixo hospitalar – 4 mil toneladas por dia – é proporcionalmente pouco em relação ao total, mas 20% podem ser considerados patogênicos, tóxicos ou radioativos. Apenas 14% dos municípios brasileiros dão destino adequado ao lixo hospitalar, que deve ser incinerado, queimado em forno de microondas ou tratado em autoclave (esterilização por meio de vapores). Já a parte radioativa deve ser entregue à Comissão Nacional de Energia Nuclear. Na maioria dos municípios brasileiros, o lixo hospitalar não recebe tratamento específico e é misturado aos resíduos urbanos, o que coloca em risco as pessoas que vivem da coleta e reciclagem do lixo. As prefeituras que não separam o lixo hospitalar correm o risco de ser enquadradas na Lei de Crimes Ambientais.
 Lixo tóxico – Nos últimos anos, cresce a preocupação com materiais tóxicos, como pilhas, baterias de telefone celular, pneus e catalisadores de automóveis, que, quando jogados fora, podem aumentar os problemas sanitários e de contaminação. A pilha, por exemplo, deixa vazar zinco e mercúrio, dois metais extremamente prejudiciais à saúde. Desde julho de 1999, uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) responsabiliza fabricantes e comerciantes pelo destino final desse tipo de produto, depois que forem descartados pelos usuários.
O governo federal implantou em 2001 a Política Nacional de Resíduos Sólidos, gerenciada pelo Conama, com o objetivo de administrar os resíduos de maneira sustentável. Isso pode ser feito pela redução do consumo e pela reciclagem de materiais. Nesse mesmo ano, projetos de gerenciamento integrado de resíduos sólidos urbanos beneficiaram 114 prefeituras.
 O lixo no Brasil
 No total, são produzidas cerca 228 mil toneladas de ______________ por dia no Brasil. De acordo com a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB), de 2000, realizada pelo ______________, 73% do lixo tem como destino final aterros ______________ (técnica de deposição do lixo que garante maior controle da poluição ambiental) ou ______________ controlados (quando o lixo é coberto com uma camada de terra). O restante é jogado em ______________, na beira de rios ou não se conhece o destino. Essa realidade, no entanto, pode ser muito pior. Segundo estudo do Ministério das Cidades, em 2002 apenas 18% dos municípios pesquisados possuem aterros sanitários ______________.
Quando não é tratado, o lixo expõe as pessoas a várias ______________ (______________, amebíase, parasitose, entre outras) e contamina o ar, o solo, as ______________ e os lençóis freáticos. Ele pode também provocar enchentes, por causa da obstrução de rios e córregos pelo material jogado em locais inadequados. De acordo com o IBGE, as 13 maiores cidades do país são responsáveis por quase 32% de todo o lixo urbano, e cada brasileiro, nas cidades com mais de 200 mil habitantes, produz de 800 gramas a 1,2 quilo de lixo diariamente. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, o serviço de coleta de lixo municipal atinge 85,6% das residências do país, em 2003.

Classificação – O lixo pode ser classificado de acordo com sua natureza física, composição química, origem e riscos potenciais ao meio ambiente, entre outros fatores. A maior parte do lixo domiciliar no Brasil é composta de matéria ______________. O lixo hospitalar – 4 mil toneladas por dia – é proporcionalmente pouco em relação ao total, mas 20% podem ser considerados patogênicos, tóxicos ou radioativos. Apenas 14% dos municípios brasileiros dão destino ______________ ao lixo hospitalar, que deve ser incinerado, queimado em forno de microondas ou tratado em autoclave (esterilização por meio de vapores). Já a parte radioativa deve ser entregue à Comissão Nacional de Energia Nuclear. Na maioria dos municípios brasileiros, o lixo hospitalar não recebe tratamento específico e é misturado aos resíduos urbanos, o que coloca em risco as pessoas que vivem da coleta e reciclagem do lixo. As prefeituras que não separam o lixo ______________ correm o risco de ser enquadradas na Lei de Crimes Ambientais.
 Lixo tóxico – Nos últimos anos, cresce a preocupação com materiais ______________, como pilhas, baterias de telefone celular, pneus e catalisadores de automóveis, que, quando jogados fora, podem aumentar os problemas sanitários e de ______________. A pilha, por exemplo, deixa vazar zinco e ______________, dois metais extremamente prejudiciais à saúde. Desde julho de 1999, uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) responsabiliza fabricantes e comerciantes pelo destino final desse tipo de produto, depois que forem descartados pelos usuários.
O governo federal implantou em 2001 a Política Nacional de Resíduos Sólidos, gerenciada pelo Conama, com o objetivo de administrar os resíduos de maneira sustentável. Isso pode ser feito pela redução do consumo e pela ______________ de materiais. Nesse mesmo ano, projetos de gerenciamento integrado de resíduos sólidos urbanos beneficiaram 114 prefeituras.

Caça-palavras: escassez de água


Escassez de água
 Essencial à vida, a água doce tornou-se um problema em todos os continentes e uma das prioridades das Nações Unidas para o século XXI. Nas últimas décadas, sua escassez passou a representar um fator limitante para o crescimento econômico. Sem disponibilidade de água doce não há urbanização adequada nem expansão agroindustrial.
A importância do tema leva a Organização das Nações Unidas (ONU) a criar, em 2004, o Dia Mundial da Água (22 de março). A partir de agora, todos os anos, nesta data, são promovidas campanhas e ações para preservar os recursos hídricos. Cerca de 200 sistemas fluviais cruzam fronteiras e 13 grandes rios e lagos são compartilhados por mais de 100 nações. Diante disso, existem mais de uma centena de acordos internacionais destinados a promover o diálogo, otimizar usos e gerenciar águas disputadas por diversos países. O Brasil possui a maior reserva de água doce do planeta, embora grande parte esteja na Amazônia, longe das principais regiões consumidoras.
De acordo com a publicação World Resources 2000/2001, a superexploração das águas e os problemas correlatos já afetam os caudalosos rios Amarelo, na China; Ganges, na Índia; e Nilo, na África.
Países que dispõem de até 1,7 mil metros cúbicos de água por pessoa por ano são considerados em "estresse hídrico". Em 2000, 2,3 bilhões de indivíduos viviam nessas condições. Desse total, 1,7 bilhão deles enfrentavam a escassez, sobrevivendo com menos de mil metros cúbicos por ano.
Em alguns casos, a escassez deve-se ao uso inadequado da água. O Mar de Aral, entre o Cazaquistão e Uzbequistão, é um exemplo disso. Rios que desaguavam no lago foram usados intensivamente para projetos de irrigação, e o nível da água caiu 13 metros nos últimos 40 anos. O lago, que já foi o quarto maior do mundo e proporcionava 40 mil toneladas de pescado por ano, acabou dividido em dois. A parte maior deverá secar totalmente até 2020.

Consumo em alta – O relatório Desafio Global, Oportunidade Global, publicado pela ONU, em 2002, informa que no século XX o consumo de água se multiplicou por seis, taxa duas vezes maior que a do crescimento demográfico. O uso intensivo na agricultura foi a principal causa do aumento. Pelas projeções da instituição, 3,5 bilhões de pessoas poderão enfrentar escassez em 2025. As áreas mais atingidas serão a África, a Ásia Central e o Oriente Médio.
Aquíferos – A crescente escassez faz aumentar o interesse pelos aquíferos – extensas reservas de água subterrânea que correspondem a 97% da água doce do planeta. Especialistas calculam que 160 bilhões de metros cúbicos de água são retirados anualmente desses depósitos, que começam a sentir os efeitos do consumo excessivo. Segundo dados do Worldwatch Institute, os lençóis freáticos em regiões da China, da Índia, do México e do Iêmen têm registrado, em média, quedas de 1 metro por ano no nível de suas reservas. Na América do Sul, a principal reserva de água doce é o Aqüífero Guarani, que abrange a bacia do Paraná e parte da bacia do Chaco-Paraná. Dois terços dele estão localizados em território brasileiro, e o restante na Argentina, no Paraguai e no Uruguai.
Escassez de água
 Essencial à _________________ , a água doce tornou-se um problema em todos os continentes e uma das prioridades das Nações _________________ para o século XXI. Nas últimas décadas, sua escassez passou a representar um fator limitante para o crescimento _________________. Sem disponibilidade de água doce não há urbanização adequada nem expansão agroindustrial.
A importância do tema leva a Organização das Nações Unidas (_________________) a criar, em 2004, o Dia Mundial da _________________ (22 de março). A partir de agora, todos os anos, nesta data, são promovidas campanhas e ações para preservar os recursos _________________. Cerca de 200 sistemas fluviais cruzam fronteiras e 13 grandes rios e lagos são compartilhados por mais de 100 nações. Diante disso, existem mais de uma centena de acordos _________________ destinados a promover o diálogo, otimizar usos e gerenciar águas disputadas por diversos países. O Brasil possui a maior reserva de água doce do _________________, embora grande parte esteja na _________________, longe das principais regiões consumidoras.
De acordo com a publicação World Resources 2000/2001, a superexploração das águas e os problemas correlatos já afetam os caudalosos rios Amarelo, na _________________; Ganges, na _________________; e Nilo, na _________________.
Países que dispõem de até 1,7 mil metros cúbicos de água por pessoa por ano são considerados em "estresse hídrico". Em 2000, 2,3 bilhões de indivíduos viviam nessas condições. Desse total, 1,7 bilhão deles enfrentavam a escassez, sobrevivendo com menos de mil metros cúbicos por ano.
Em alguns casos, a escassez deve-se ao uso _________________ da água. O Mar de Aral, entre o _________________ e Uzbequistão, é um exemplo disso. Rios que desaguavam no lago foram usados intensivamente para projetos de _________________, e o nível da água caiu 13 metros nos últimos 40 anos. O lago, que já foi o quarto maior do mundo e proporcionava 40 mil toneladas de pescado por ano, acabou dividido em dois. A parte maior deverá _________________ totalmente até 2020.

Consumo em alta – O relatório Desafio Global, Oportunidade Global, publicado pela ONU, em 2002, informa que no século XX o consumo de água se multiplicou por seis, taxa duas vezes maior que a do crescimento demográfico. O uso intensivo na _________________ foi a principal causa do aumento. Pelas projeções da instituição, 3,5 bilhões de pessoas poderão enfrentar escassez em 2025. As áreas mais atingidas serão a África, a Ásia Central e o Oriente Médio.
Aquíferos – A crescente escassez faz aumentar o interesse pelos _________________ – extensas reservas de água _________________ que correspondem a 97% da água doce do planeta. Especialistas calculam que 160 bilhões de metros cúbicos de água são retirados anualmente desses depósitos, que começam a sentir os efeitos do consumo excessivo. Segundo dados do Worldwatch Institute, os lençóis freáticos em regiões da China, da Índia, do México e do Iêmen têm registrado, em média, quedas de 1 metro por ano no nível de suas reservas. Na América do Sul, a principal reserva de água doce é o Aqüífero _________________, que abrange a bacia do Paraná e parte da bacia do Chaco-Paraná. Dois terços dele estão localizados em território _________________, e o restante na _________________, no Paraguai e no Uruguai.






Caça-palavras: desertificação.


Desertificação
 Esse fenômeno não se refere à expansão de desertos já existentes, mas à criação de outras áreas áridas. Ele é responsável pela perda de produtividade dos solos, ameaça mais de 110 países e afeta diretamente a vida de mais de 250 milhões de pessoas. Outro bilhão vive em região de risco. O surgimento das áreas desertificadas pode ter causas naturais, como a ocorrência de períodos prolongados de seca. A principal, no entanto, é a associação entre variações climáticas e a atividade humana, como desmatamento e agricultura intensiva. Dessa maneira, o solo fica suscetível à erosão, provocada pelo arrastamento das partículas de terra, pela ação de chuvas ou ventos fortes. Como consequência, há perda da camada superficial do solo, rica em nutrientes e sementes, causando importantes impactos sociais e econômicos em todo o mundo. Cerca de 40% das terras usadas para a agricultura estão degradadas, segundo dados do Instituto Internacional de Pesquisa sobre Políticas Alimentares. A África é a região mais afetada. Na China, o fenômeno atinge área superior a 27% do território. Outras regiões em que ocorre são o oeste da América do Sul, o nordeste do Brasil, o Oriente Médio, a Austrália e o sudoeste dos EUA.
 Formas de combate – Em 1994 é criada a Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação (UNCCD), destinada a estabelecer políticas mundiais para combater o problema. Ao completar dez anos, em 2004, a convenção conta com a adesão de 191 países e mostra progressos em suas metas. Na África, 29 nações colocam em prática programas de plantação de árvores e reabilitação de terras degradadas.
Desertificação
 Esse ___________________ não se refere à expansão de ___________________ já existentes, mas à criação de outras áreas áridas. Ele é responsável pela perda de ___________________ dos solos, ameaça mais de 110 países e afeta diretamente a vida de mais de 250 milhões de pessoas. Outro bilhão vive em região de risco. O surgimento das áreas desertificadas pode ter causas ___________________, como a ocorrência de períodos prolongados de seca. A principal, no entanto, é a associação entre variações climáticas e a atividade ___________________, como desmatamento e agricultura ___________________. Dessa maneira, o solo fica suscetível à ___________________, provocada pelo arrastamento das partículas de terra, pela ação de chuvas ou ventos fortes. Como consequência, há perda da camada superficial do ___________________, rica em nutrientes e sementes, causando importantes impactos sociais e econômicos em todo o mundo. Cerca de 40% das terras usadas para a agricultura estão ___________________, segundo dados do Instituto Internacional de Pesquisa sobre Políticas Alimentares. A ___________________ é a região mais afetada. Na China, o fenômeno atinge área superior a 27% do território. Outras regiões em que ocorre são o oeste da América do Sul, o nordeste do ___________________, o Oriente Médio, a Austrália e o sudoeste dos EUA.
 Formas de combate – Em 1994 é criada a Convenção das Nações ___________________ de Combate à Desertificação (UNCCD), destinada a estabelecer políticas mundiais para combater o problema. Ao completar dez anos, em 2004, a convenção conta com a adesão de 191 países e mostra progressos em suas metas. Na África, 29 nações colocam em prática programas de plantação de ___________________ e reabilitação de terras degradadas.



Caça-palavras: camada de ozônio



Camada de ozônio
 A estratosfera, situada entre 20 e 35 quilômetros de altitude, é composta basicamente de um gás rarefeito constituído de moléculas com três átomos de oxigênio, o ozônio (O3). Esse gás funciona como uma espécie de filtro do planeta, absorvendo parte da radiação ultravioleta B (UVB) emitida pelo Sol. Sem essa proteção, a radiação diminuiria a capacidade de fotossíntese das plantas e promoveria maior desenvolvimento de doenças, como câncer de pele e catarata.
O aparecimento de buracos na camada de ozônio é um processo natural. No hemisfério sul, eles surgem e se dissipam durante a primavera, em virtude de reações de destruição e produção de ozônio. A atividade humana vem acentuando, porém, esse mecanismo da natureza. As emissões de substâncias químicas halogenadas artificiais, entre elas os clorofluorcarbonos (CFCs), desenvolvidos na década de 1930 para ser utilizados principalmente como fluidos refrigerantes em geladeiras e sistemas de ar-condicionado, e o processo de aquecimento global intensificam as reações químicas que destroem o ozônio.
Em setembro de 2003, o buraco na camada de ozônio sobre a região da Antártica cresce e atinge a segunda maior área registrada: 28,2 milhões de quilômetros quadrados, o triplo da área dos EUA, depois de ter se apresentado em 2002 com 15,6 milhões de quilômetros quadrados, dividido em dois. Em setembro de 2004, observa-se uma redução no tamanho do buraco na atmosfera sobre a Antártica, oscilando entre 20 e 23 milhões de quilômetros quadrados.
 Protocolo de Montreal – A urgência em proteger a camada de ozônio fez 24 países desenvolvidos assinar um compromisso em 1987, o Protocolo de Montreal. Até dezembro de 2004, 188 nações haviam ratificado o acordo. Objetivo: erradicação gradual das substâncias nocivas à camada de ozônio, entre elas os CFCs, os hidroclorofluorcarbonos (HCFCs), que são fluidos refrigerantes e agentes para produção de espumas; os halons, substâncias usadas na extinção de incêndios; o brometo de metila, utilizado como inseticida; o cloreto de metila; e o tetracloreto de carbono. Os dois últimos são empregados como solventes. O protocolo estabeleceu um cronograma preciso, começando pelos CFCs – suprimidos em 1995 nas nações industrializadas e com prazo de até 2010 para ser eliminados nas em desenvolvimento. O acordo surte efeito: entre 1988 e 1995, o consumo de CFCs cai 76% no mundo inteiro.
No entanto, a efetivação do protocolo enfrenta problemas. Em meados da década de 1990, um mercado negro de CFCs começa a se consolidar. Em 2003, os EUA anunciam que querem aumentar o uso de brometo de metila, muito mais prejudicial que o CFC, alegando razões econômicas.

Camada de ozônio
 A __________________ , situada entre 20 e 35 quilômetros de __________________, é composta basicamente de um gás rarefeito constituído de moléculas com três átomos de oxigênio, o ozônio (O3). Esse gás funciona como uma espécie de __________________ do planeta, absorvendo parte da radiação ultravioleta B (UVB) emitida pelo __________________. Sem essa proteção, a radiação diminuiria a capacidade de fotossíntese das plantas e promoveria maior desenvolvimento de doenças, como __________________ de pele e catarata.
O aparecimento de __________________ na camada de ozônio é um processo natural. No hemisfério sul, eles surgem e se dissipam durante a primavera, em virtude de reações de destruição e produção de ozônio. A atividade __________________ vem acentuando, porém, esse mecanismo da natureza. As emissões de substâncias químicas halogenadas artificiais, entre elas os clorofluorcarbonos (__________________), desenvolvidos na década de 1930 para ser utilizados principalmente como fluidos refrigerantes em __________________ e sistemas de ar-condicionado, e o processo de aquecimento global intensificam as reações químicas que destroem o ozônio.
Em setembro de 2003, o buraco na camada de ozônio sobre a região da __________________ cresce e atinge a segunda maior área registrada: 28,2 milhões de quilômetros quadrados, o triplo da área dos EUA, depois de ter se apresentado em 2002 com 15,6 milhões de quilômetros quadrados, dividido em dois. Em setembro de 2004, observa-se uma redução no tamanho do buraco na atmosfera sobre a Antártica, oscilando entre 20 e 23 milhões de quilômetros quadrados.
 Protocolo de Montreal – A urgência em proteger a camada de ozônio fez 24 países desenvolvidos assinar um compromisso em 1987, o Protocolo de __________________. Até dezembro de 2004, 188 nações haviam ratificado o acordo. Objetivo: erradicação gradual das substâncias nocivas à camada de ozônio, entre elas os CFCs, os hidroclorofluorcarbonos (HCFCs), que são fluidos refrigerantes e agentes para produção de espumas; os halons, substâncias usadas na extinção de incêndios; o brometo de metila, utilizado como inseticida; o cloreto de metila; e o tetracloreto de carbono. Os dois últimos são empregados como solventes. O protocolo estabeleceu um cronograma preciso, começando pelos CFCs – suprimidos em 1995 nas nações industrializadas e com prazo de até 2010 para ser eliminados nas em desenvolvimento. O acordo surte efeito: entre 1988 e 1995, o consumo de CFCs cai 76% no mundo inteiro.

No entanto, a efetivação do protocolo enfrenta __________________. Em meados da década de 1990, um mercado negro de CFCs começa a se consolidar. Em 2003, os EUA anunciam que querem aumentar o uso de brometo de metila, muito mais prejudicial que o CFC, alegando razões __________________.

Caça-palavras zonas litorâneas.


Zonas litorâneas
 A costa brasileira é uma das mais extensas do mundo: são mais de 7 mil quilômetros de extensão em linha contínua e, se forem considerados os recortes geográficos do litoral, esse número ultrapassa 9 mil. Toda essa extensão é pontilhada por vários tipos de paisagem – dunas, ilhas, praias, recifes, costões rochosos, baías, estuários, brejos e falésias – e é povoada por enorme variedade de animais e vegetais.

Divide-se o litoral brasileiro em quatro zonas distintas:
1. O litoral amazônico, que vai do rio Oiapoque ao delta do Parnaíba, é coberto por manguezais e matas de várzea.
2. O litoral nordestino, que vai até o Recôncavo Baiano, alterna dunas, falésias, restingas e manguezais. É o habitat de várias espécies de tartaruga e do peixe-boi-marinho, que está na lista de espécies com grave risco de extinção.
3. A zona litorânea do Sudeste, que vai até a divisa de São Paulo com o Paraná, apesar de ser a região mais densamente povoada, é também a que conserva grandes porções de mata Atlântica preservada. É nesse ecossistema que vivem espécies como a preguiça-de-coleira e o mico-sauá, ambos ameaçados de extinção.
4. Por fim, o litoral sul vai até o Rio Grande do Sul e se caracteriza por manguezais, costões e, a partir de Torres, por uma faixa contínua de praias. São espécies típicas dessa região a capivara, o guará, a lontra e a baleia franca.

Vegetação – O mangue e a restinga são vegetações próprias das zonas litorâneas. O mangue é uma formação vegetal composta de arbustos e espécies arbóreas que ocorre ao longo de todo o litoral. Nele predominam espécies vegetais de troncos finos e raízes aéreas e respiratórias (ou raízes-escora), adaptadas à salinidade e a solos pouco oxigenados e lamacentos. Entre seus principais representantes estão o mangue-seriba, o mangue vermelho e o mangue branco. Por ser rico em matéria orgânica, tem papel muito importante na reprodução e no abrigo de espécies da fauna marinha.
A restinga é uma vegetação própria de terrenos salinos, formados por areia e pedras e cobertos por ervas, arbustos e árvores. Predomina do litoral da Bahia ao Rio de Janeiro e no do Rio Grande do Sul. Os destaques são a aroeira-de-praia e o cajueiro. A faixa interiorana é composta de arbustos e árvores, como a caxeta e o jerivá.

Zonas litorâneas
 A costa brasileira é uma das mais _______________ do mundo: são mais de 7 mil quilômetros de extensão em linha contínua e, se forem considerados os recortes geográficos do litoral, esse número ultrapassa 9 mil. Toda essa extensão é pontilhada por vários tipos de _______________ – dunas, _______________, praias, recifes, costões rochosos, baías, estuários, brejos e falésias – e é povoada por enorme variedade de _______________ e vegetais.

Divide-se o litoral brasileiro em quatro zonas distintas:
1. O litoral amazônico, que vai do rio Oiapoque ao delta do Parnaíba, é coberto por manguezais e matas de várzea.
2. O litoral nordestino, que vai até o Recôncavo Baiano, alterna dunas, falésias, restingas e manguezais. É o habitat de várias espécies de tartaruga e do peixe-boi-marinho, que está na lista de espécies com grave risco de _______________.
3. A zona litorânea do Sudeste, que vai até a divisa de São Paulo com o Paraná, apesar de ser a região mais _______________ povoada, é também a que conserva grandes porções de mata _______________ preservada. É nesse ecossistema que vivem espécies como a preguiça-de-coleira e o mico-sauá, ambos _______________ de extinção.
4. Por fim, o litoral sul vai até o _______________ e se caracteriza por manguezais, costões e, a partir de Torres, por uma faixa contínua de praias. São espécies típicas dessa região a capivara, o guará, a lontra e a baleia _______________.

Vegetação – O _______________ e a restinga são vegetações próprias das zonas litorâneas. O mangue é uma formação vegetal composta de arbustos e espécies arbóreas que ocorre ao longo de todo o litoral. Nele predominam espécies vegetais de troncos finos e raízes aéreas e respiratórias (ou raízes-escora), adaptadas à _______________ e a solos pouco oxigenados e lamacentos. Entre seus principais representantes estão o mangue-seriba, o mangue vermelho e o mangue branco. Por ser rico em matéria orgânica, tem papel muito importante na reprodução e no _______________ de espécies da fauna marinha.
A restinga é uma vegetação própria de terrenos salinos, formados por _______________ e pedras e cobertos por ervas, arbustos e árvores. Predomina do litoral da Bahia ao Rio de Janeiro e no do Rio Grande do Sul. Os destaques são a aroeira-de-praia e o cajueiro. A faixa interiorana é composta de arbustos e árvores, como a caxeta e o jerivá.




Postagens populares